segunda-feira, 15 de julho de 2013

As piores dietas de todos os tempos

“Coma o que quiser, quando você quiser e veja seus quilos a mais sumirem!”. Você já leu, ouviu e até mesmo experimentou alguma dieta milagrosa que prometeu eliminar o excesso de peso por meio de mínimos esforços. Existem centenas de dietas deste tipo. E também milhares de pessoas seguindo dietas miraculosas.

E por que isto acontece? Na verdade, muitas destas dietas resultam em perda de peso rápida, mas que não se mantém.

Adicionalmente, a perda de peso de dietas de resultado rápido vem acompanhada de perda de saúde, incluindo perda de massa muscular, perda de eletrólitos, desidratação e por fim o ganho de peso de volta.

É normal que todos procurem a lei do menor esforço, desenvolvendo um tipo de pensamento mágico que se recusa a visualizar os fatos: não adianta enganar-se com alimentos, pílulas, shakes e poções mágicas. A única maneira de perder peso é gastar mais calorias do se ingere, reforçam especialistas em nutrição.

De maneira geral, após algumas semanas fazendo uma dieta da moda, as pessoas tornam-se frustradas e desistem. Isto acaba por gerar sentimentos de fracasso que levam às pessoas a hábitos de vida ainda menos saudáveis. Em outras palavras, você freqüentemente sente-se pior após uma dieta assim.

As piores dietas de todos os tempos

Aqui estão as dietas com as piores chances de produzir resultados de perda e manutenção de peso no longo prazo:

1. Dietas focadas em alguns alimentos ou grupo de alimento específico
Tenha cuidado com dietas que excluem grupos de alimentos inteiros. As pessoas precisam alimentar-se de uma variedade de alimentos para satisfazer as necessidades de nutrientes do organismo.

Estas dietas restritivas funcionam inicialmente, pois reduzem a possibilidade de escolha e consumo de vários alimentos, mas falham na manutenção dos resultados de longo prazo. É possível perder peso rapidamente quando se opta pela dieta da sopa de couve, por exemplo, mas quanta sopa uma pessoa consegue comer? E por quanto tempo?

É óbvio que após algum tempo, você começa a sentir vontade de comer algum alimento diferente.

Tenha em mente que é possível incluir todo tipo de alimento em uma dieta saudável, desde que seja feito uso moderado. Até mesmo chocolates, sorvetes, bacon e batatas fritas podem estar presentes em uma dieta saudável, desde que em quantidades recomendadas. Toda vez que você elimina ou restringe uma comida, surge o desejo pelo proibido, levando a quebra e fracasso da dieta.

2. Dietas de desintoxicação
Regimes que pregam procedimentos para desintoxicar o corpo são altamente suspeitos.

Todas estas dietas que pregam limpeza ou equilíbrio do organismo são baseadas em pensamentos mágicos e não possuem nenhuma base científica. Seu corpo está bem equipado com órgãos como fígado, rins e sistema imunológico para promover toda limpeza, desintoxicação e equilíbrio necessário.

Os componentes usados nestas dietas, na verdade, são mais substâncias com as quais o seu organismo vai ter que lidar para desintoxicar-se.

3. Dietas com alimentos mágicos
As pessoas estão sempre buscando um alimento, pílula ou poção mágica para ajudar a perder peso, mas infelizmente tais ingredientes não existem. Nenhum alimento ou grupo de alimento por si só é capaz de reduzir o peso.

Fique alerta a qualquer dieta que recomenda o uso de suplementos, enzimas, shakes e poções, principalmente quando o livro, revista, site ou programa recomenda e ao mesmo tempo vende o produto.

Você não precisa de suplementos caríssimos. Se você usa algum suplemento polivitamínico para complementar sua dieta, tudo bem, mas, além disto, os especialistas recomendam que você consiga seus nutrientes por meio da alimentação.

4. Dietas de baixíssimas calorias
Jejuar é um costume comum em várias religiões, e não causa problemas quando realizado por um ou dois dias, mas jejuar para perder peso é algo contra-produtivo.

Quando você reduz drasticamente o consumo de calorias, seu corpo pensa que está entrando em período de privação, e ajusta o metabolismo, ou seja, reduz o gasto para poupar energia. Mas quando você volta a comer normalmente, o metabolismo não acelera de imediato, transformando as calorias a mais em quilos extras. Esta é a explicação para o efeito sanfona.

Mas o pior é que durante o jejum ou em uma dieta de baixíssimas calorias a perda de peso é devido a uma combinação de gordura, água e músculos, mas quando o peso retorna, trata-se praticamente de gordura.

Um ponto final contra as dietas de baixíssimas calorias é que você coloca o organismo em estado de inanição, reduzindo o desempenho físico e mental, reduzindo suas chances de praticar atividades físicas e queimar calorias de forma saudável.

5. Dietas que parecem boas demais para ser verdade
Dietas que anunciam algum segredo oculto, algo que as autoridades de saúde não querem que você saiba.

Estas dietas geralmente recomendam a compra de livros, manuais ou fórmulas que contêm o segredo que está sendo guardado a sete chaves.
Mas as pessoas responsáveis por anunciar tais dietas somente estão interessadas no aumento de sua conta bancária e não guardam nenhum respeito por sua saúde.

No meio científico este tipo de anúncio não é tolerado, pois todos os experimentos e testes são abertos a comunidade para que sejam comprovados e repetidos por outros.

Para começar uma boa dieta

Por fim, é importante saber que não existe uma dieta única que se encaixe na vida de todo mundo. A chave para uma dieta saudável é a personalização ao seu estilo de vida. A melhor dieta é aquela que você possa agregar ao seu cotidiano no longo prazo.
Se você encontra-se em dúvida a respeito de alguma condição médica ou doença que possa estar causando ganho de peso ou impedindo a perda de peso, consulte seu médico. E lembre-se que profissional que melhor pode orientá-lo em relação a uma dieta personalizada é o nutricionista.

"Descubra como Atingir um Corpo Ultra, Super Definido cheios de Musculos sem Gastar com Suplementos Caros, sem Precisar fazer Dietas Caras e de um Jeito extremamente Fácil, Barato e Simples para Atingir um Corpo Super Bonito e Ultra Definido cheio de Musculos"


Quantas vezes você já ouviu: “Exercício é bom pra você por…”

Todos sabem que se exercitar trás muitos benefícios, mas mesmo assim seguimos procrastinando e reclamando do excesso de peso, das doenças, etc.
Um pouco de exercício é melhor do que nenhum exercício, mais exercício é geralmente melhor que menos exercício, ficar parado pode ter consequências desastrosas. Ninguém está pedindo que você comece um rigoroso sistema de exercícios, apenas faça alguma coisa. Se precisar de motivação, veja a lista abaixo com benefícios gerados por exercícios e que são comprovadamente benéficos a sua saúde: 
 

Longevidade. Pessoas que são fisicamente ativas vivem mais. Segundo um estudo de acompanhamento de 20 anos, exercitar-se regularmente reduz o risco de morte prematura.

Desenvolvimento de novas células cerebrais, boa memória. Exercício estimula a formação de novas células cerebrais. Pesquisadores descobriram que áreas do cérebro responsáveis pela memória e aprendizado, são estimuladas quando nos exercitamos. Por exemplo, pessoas adultas que se exercitam regularmente se saem melhor em testes onde decisões importantes, soluções de problemas e boa memória são necessárias.

Melhor desempenho sexual. Exercícios regulares ajudam a manter e a melhorar a sua vida sexual. Desenvolvimento físico dos músculos, aumento de energia, melhor composição corporal e melhor circulação cardiovascular podem melhorar a vida sexual em ambos, homens e mulheres. Pesquisadores revelaram que homens que se exercitam regularmente têm menos chances de sofrer de impotência sexual.

Exercício é um forte antidepressivo. Diversos estudos mostraram que exercícios promovem a saúde mental e reduzem os sintomas da depressão. O efeito antidepressivo gerado por exercícios regulares é comparado com poderosos remédios antidepressivos. Pode ser necessário pelo menos 30 minutos de exercícios diários, durante três a cinco dias por semana para obter resultados relevantes na eliminação dos sintomas de depressão.

Saúde Cardiovascular. Falta de atividade física é um dos maiores fatores de risco de doenças cardiovasculares. Exercícios regulares deixam seu coração, assim como outros músculos, mais forte. Um coração mais forte pode bombear mais sangue com menos esforço.

Redução de Colesterol. O exercício em si não queima colesterol assim como queima gordura. Mas o exercício influencia favoravelmente no nível de colesterol no sangue, diminuindo o mau colesterol, triglicerídeos e aumentando o bom colesterol.

Prevenção e controle de diabetes. Existe forte evidência de estudos e pesquisadores qualificados, apontando que atividades físicas regulares combinadas com uma alimentação balanceada podem reduzir em 50-60% o risco de desenvolvimento de diabetes.

Diminuição da pressão. Como o exercício pode reduzir a pressão sanguínea ainda não é claro, mas todas as formas de exercícios parecem diminuir efetivamente a pressão. Os aeróbicos parecem causar maior efeito em pessoas com hipertensão.

Redução do risco de derrame. Pesquisas indicam que níveis moderados e elevados de atividades físicas podem reduzir o risco de derrames e isquemias.

Controle de peso. Exercícios regulares ajudam a reduzir e a manter um peso saudável. Se você consome mais calorias do que necessita em um dia, o exercício elimina esse excesso de caloria e mantém o seu peso. Aumenta o uso de energia, resultando em metabolismo mais rápido. Quando o metabolismo é acelerado através do exercício, você manterá uma taxa acelerada por maiores períodos durante o dia.

Força muscular. Estudos comprovaram diversas vezes que musculação aumenta a força muscular e massa, diminuindo o tecido gorduroso.

Ossos fortes. Uma vida ativa ajuda na densidade dos ossos. Alguns tipos de exercícios podem promover a formação dos ossos, retardar o enfraquecimento e proteger contra osteoporose.

Dormir melhor. Se você tem problemas de sono, exercícios diários podem fazer a diferença. 


Os 10 alimentos que não te deixam envelhecer

Confira e faça uso dos 10 alimentos que são os piores inimigos naturais do envelhecimento precoce. A lista é esta abaixo, mas para saber o porquê dos alimentos prevenirem suas rugas é só clicar no post integral.


1. Maçã
2. Aveia
3. Alho
4. Soja
5. Azeite de Oliva (Extra Virgem)
6. Tomate
7. Castanha do Pará
8. Iogurte
9. Semente de Linhaça
10. Uva


1. MAÇÃ:

Estudos científicos têm demonstrado que o consumo regular de maçãs ajuda a retardar o envelhecimento da pele, protegendo-a dos raios solares. A fruta é em fibras e vitamina c, reduz risco de câncer e torna o sistema imunológico mais jovem, pois possui flavonóides e polifenóis. Uma pesquisa da Universidade de Cornell, nos Estados Unidos, garante que, para prevenir o câncer, uma maçã pequena e com casca tem o mesmo poder de arrasar os temidos radicais livres que 30 copos de suco de laranja (63 calorias em cem gramas). A maçã é excelente para prevenir e manter a taxa de colesterol em níveis aceitáveis. Esse efeito é devido ao alto teor de pectina, encontrada na casca. também tem um efeito acentuado para emagrecimento, pois a pectina dificulta a absorção das gorduras, da glicose e elimina o colesterol. O alto teor de potássio contido na polpa da maçã faz eliminar o sódio excedente, eliminando o excesso de água retida no corpo.

2. AVEIA:
De todos os cereais, a aveia é uma das mais ricas em fibras. Ela ajuda a diminuir o colesterol ruim, o LDL. A quantidade recomendada: 40 gramas por dia de farelo ou 60 gramas da farinha. A aveia previne doenças cardiovasculares por seus efeitos sobre o colesterol, a arteriosclerose, o envelhecimento dos tecidos, a hipertensão arterial e por seus efeitos como antiinflamatório. Para os dentes, combate as cáries. Melhora a concentração e o esgotamento mental. É útil em enxaquecas, insônia, hiperatividade e ansiedade. Indicada para controle de diabetes, como estabilizadora do nível de açúcar no sangue, porque estimula a atividade do pâncreas, e também como fonte de energia para assimilação lenta e de fibras.

3. ALHO:
Um estudo realizado na Alemanha, chegou à conclusão de que 1 grama de alho consumido por dia reduz em 80% o volume na placa de aterosclerose nas artérias. Pesquisas recentes mostram que alguns de seus componentes, como a alicina (substância responsável pelo sabor e odor), inibem uma bactéria que causa a úlcera e que tem sido apontada como precursora do câncer gástrico.Reduz a pressão arterial e protege o coração ao diminuir a taxa de colesterol ruim e aumenta r os níveis do colesterol bom, o HDL. Pesquisas indicam que pode ajudar na prevenção de tumores malignos. Quantidade recomendada: um dente por dia (para diminuir o colesterol e a pressão arterial).Rico em componentes que ativam o sistema imunológico e combatem vírus, bactérias e fungos que causam infecções, o alho pode agir como coadjuvante no tratamento de resfriados, gripes e aftas, por exemplo. Além disso, graças aos compostos fitoquímicos (alicina e ajoeno), o alimento ajuda a baixar os níveis de açúcar no sangue e tem ação antioxidante importante no controle do câncer.

4. SOJA:
A soja é reconhecidamente o alimento que tem maior teor protéico. Ajuda a reduzir o risco de doenças cardiovasculares, segundo a FDA. Seu consumo regular pode diminuir os níveis de colesterol ruim em mais de 10%. Há indicações de que também ajuda a amenizar os incômodos da menopausa e a prevenir o câncer de mama e de cólon. Quantidade recomendada: 150 gramas de grão de soja por dia, o equivalente a uma xícara de chá (para reduzir o colesterol). As substancias presentes na soja atuam devido ao fato de que a leguminosa é rica em isoflavonas. É um fitoestrôgenio, pois imita o estrógeno (hormônio sexual feminino). Quando elas entram no organismo da mulher na menopausa, são capturadas pela mesma proteína que carrega o hormônio estrógeno. Essa proteína leva as isoflavonas até o receptor do estrógeno, onde elas irão atuar como o hormônio, fazendo o papel dele no corpo da mulher. Consumida três vezes por semana a partir dos 25 anos, ajuda as mulheres a manterem os níveis de hormônios regulares depois da menopausa.

5. AZEITE DE OLIVA:
Evitar todos os óleos vegetais parcialmente hidrogenados reduzirá sua idade verdadeira em 2,7 anos. Azeites com baixa acidez (de até 0,8%) são chamados de extravirgem e são os de maior qualidade. Para ter essa característica, não podem passar por processos térmicos ou químicos. Sua extração é feita a frio, a temperaturas inferiores a 27ºC, de maneira a conservar melhor aroma e sabor. Ajuda a prevenir a arteriosclerose e seus riscos; melhora o funcionamento do estômago e do pâncreas; digere-se com maior facilidade do que qualquer outra gordura comestível, nC3o tem colesterol e proporciona a mesma caloria dos outros óleos; acelera as funções metabólicas. Azeite extra virgem tem muitos antioxidantes anticancerígenos: ômega 3 e esqualeno (que é um composto que previne câncer de cólon). Extravirgem significa que o nível de acidez é menor que 1%, vindo da primeira prensagem das azeitonas, que foram processadas a frio (processo que preserva os nutrientes e matém o sabor). Quanto mais escuro, mais o sabor é acentuado. Auxilia na redução do LDL. Sua ingestão no lugar de margarina ou manteiga pode reduzir em até 40% o risco de doenças do coração e aumenta o HDL. Quantidade recomendada: 15 mililitros por dia ou uma colher (de sopa rasa). Cada grama de azeite tem calorias. 1 colher de sopa tem 125 calorias.

6. TOMATE:
Devemos comer o ano inteiro. Diminui 40% de câncer de esôfago se você comer apenas um tomate por semana. Um tomate cru de tamanho médio contém somente 25 calorias. Tem licopeno, retarda envelhecimento das células da próstata. O cozimento do tomate facilita a absorção do licopeno pelo corpo, portanto, o molho de tomate cozido é melhor do que o tomate cru. Coloque azeite de oliva no tomate, para absorver melhor o licopeno. Se for beber suco de tomate coma alguma nozes antes (gordura), pois facilita a absorção do licopeno. 10 colheres de molho de tomate ingeridas semanalmente podem reduzir em 50% o risco de ocorrência de 11 tipos de câncer.Além de ser uma boa fonte de vitamina C, o tomate é ideal para quem quer perder peso, pois contém poucas calorias. 0 tomate funciona como antitóxico e laxante e ajuda o organismo a combater infecções. Além disso, é um excelente depurador do sangue. Também é rico em sais minerais, tais como: potássio, sódio, fósforo, cálcio, magnésio e ferro.Nunca compre tomates com manchas escuras, partes podres ou emboloradas. Nem compre os verdes, que amadurecem fora do pé, pois eles têm menos vitaminas que os maduros. Escolha sempre os bem vermelhos, firmes e com a casca lisa. Auxilia na prevenção do câncer de próstata. Quantidade recomendada: uma colher e meia (sopa) de molho de tomate por dia.

7. CASTANHA-DO-PARÁ:
Auxilia na prevenção de problemas cardíacos. Também ganhou o selo de redutora de doenças cardiovasculares da FDA. Ao ingerir cinco ou seis nozes antes da refeição, você se sente saciado mais rápido e por mais tempo. As mulheres ficarão 3,4 anos mais jovens e os homens, 4,4 anos. Ela é fonte de vitamina E selênio, que colaboram para frear a produção de radicais livres, desacelerar o envelhecimento e reduzir o risco de doenças do coração. O mineral, ingerido em doses recomendadas (entre 55 e 70 gramas por dia), previne câncer, atua no equilíbrio do hormônio da glândula tireóide, fortalece a imunidade, reduz a toxidade de metais pesados e age no combate aos radicais livres. Apenas uma noz é suficiente para suprir as necessidades diárias de Selênio no organismo humano. A castanha-do-pará, por exemplo, já ficou famosa por seu alto teor de selênio, mineral que atua no equilíbrio da tiróide (evitando oscilações de peso), previne tumores, fortalece o sistema imunológico e protege contra a ação dos radicais livres.

8. IOGURTE:
O iogurte, semi ou desnatado, tem mais cálcio por porção do que qualquer outro laticínio. É também uma importante fonte de proteínas, zinco e vitaminas A e do complexo B. O valor esse alimento está nos 6 milhões de bactérias probióticas (benéficas à saúde) por mililitro. Além de equilibrar a microflora intestinal, elas auxiliam no trabalho de absorção dos nutrientes, prevenindo infecções causadas por fungos, melhora a imunidade, aumentam a absorção de cálcio pelo organismo, controla o colesterol e reduz o risco de câncer. A sua ingestão é uma fonte de ajuda no crescimento das crianças. Mais ainda: o iogurte atenua as olheiras. Um copo de iogurte por dia já traz todos esses benefícios desde que não tenha corantes, conservantes, espessantes nem adição de açúcar - tudo isso pode atrapalhar a sobrevivência das bactérias no organismo. A quantidade de cálcio diária ideal para ser ingerida é de 1000 a 1200 mg ao dia após a menopausa. Um copo de iogurte tem aproximadamente 300 mg de cálcio e equivale a 90 calorias.

9. SEMENTE DE LINHAÇA:
Diversos estudos indicam que a linhaça é uma das principais fontes de ácidos graxos do tipo ômega 3. Trabalhos científicos já comprovaram que o óleo de linhaça tem 60% de ômega 3, enquanto o óleo de salmão tem metade, ou seja, 30%. Portanto é uma ótima opção para quem não gosta de peixe ou não pode ter acesso a ele e pretende obter a proteção daquele óleo que é fundamental à nossa saúde.O ômega 3 é protetor contra as doenças cardiovasculares, pressão alta, trombose, desenvolvimento e crescimento das crianças, doenças auto-imunes, diminui o colesterol, ajuda a controlar o açúcar no sangue e inclusive melhora o ressecamento da lágrima. Pode também ativar o metabolismo, auxiliando a combater a obesidade. Aumenta a imunidade devido ao alto poder antioxidante; previne câncer de mama e próstata.O alimento é extremamente rico em ácidos graxos ômega 3, baixa o colesterol ruim e a taxa de triglicérides devendo ser consumidos de preferência diariamente, no café da manhã. Estudos recentes atribuem à linhaça propriedades que ajudam a controlar os hormônios. Ela amenizaria os efeitos da TPM e os fogachos da menopausa. Para diminuir o colesterol ruim (LDL), sintomas de TPM e menopausa, consuma diariamente 1 colher (sopa) de s emente de linhaça triturada sobre os alimentos.A semente de linhaça ajuda na prevenção do câncer de mama por neutralizar a ação do estrógeno sobre essa glândula. A semente de linhaça protege e evita a formação de tumores, pois contém 27 componentes anticancerígenos um deles é a LIGNINA (fitoesteróides), substância que imita o estrógeno. Contém cem vezes mais Lignina que os melhores grãos integrais. Nenhum outro vegetal conhecido até hoje tem esta quantidade de lignina. Estesbenefícios estão relacionados ao fato da lignina ser a precursora dos hormônios enterodiol e enterolactona e estes exercerem atividade sobre o nível de estrogênio.

10. UVA:
Tem muitas fibras e tem resveratrol, flavonóide da casca da uva, deixa sistema imunológico e mas artérias mais jovens, reduzindo câncer, derrame, perda da memória e doenças cardíacas. O resveratrol também vem sendo relacionado com a inibição da carcinogênese. Com propriedades laxativas e diuréticas, as uvas estimulam as funções do fígado, deixando você bem-disposto e com a pele mais bonita. Tem mais: Além de serem boa fonte de vitamina C, ferro e potássio, elas contêm pectina (fibra) e bioflavonóides, que evitam o envelhecimento precoce.A uva vermelha ou preta, pre sente no suco, ajuda a aumentar o colesterol bom e evita o acúmulo de gordura nas artérias, prevenindo doenças do coração. Tanto a casca quanto a semente da uva, utilizadas na fabricação do vinho, possuem substâncias antioxidantes, conhecidas como polifenóis, poderosos aliados no combate aos radicais livres.


13 Mitos Sobre as Dietas

Uma coisa que temos que botar na cabeça é que para uma dieta dar certo o principal fator é você.

1. Você não precisa de exercício para perder peso

Obviamente você pode perder peso sem exercício, no entanto a melhor maneira de perder peso e ficar em forma é combinar uma dieta saudável com exercícios regulares. O simples fato é que o exercício é importante, independentemente do seu peso atual.


2. Pular o café da manhã ajuda a perder peso

Na realidade, estudos indicam que quando você corta o café da manhã, você está mais susceptível a consumir mais calorias no final do dia para compensar. Além do mais, ficar sem café da manhã não é bom para o seu estado metabólico e de humor também.


3. Comer a noite dificulta o emagrecimento

Um estudo do Dunn Nutrition Centre, em Cambridge, os voluntários foram submetidos a um teste em que mede calorias queimadas e armazenadas. Eles receberam um pequeno almoço e uma grande janta por um período experimental. Em seguida, um grande almoço e um jantar pequeno durante um segundo período de ensaio. Os resultados revelaram que consumindo uma grande refeição a noite, não fez o corpo armazenar mais gordura.

Portanto, é evidente que não é importante a que horas você come, mas o valor total que você consume em um período de 24 horas.

4. Certos alimentos são “bons” outros não

É bastante evidente que alguns alimentos são melhores do que outros, tais como frutas, legumes, nozes e etc. Mas, não tente me dizer que comer um pedaço de pão faz mal… isso é ridículo! Moderação é a resposta certa.


5. Alimentos com baixo teor de gordura são melhores para você

Se um produto que alega ser “fat free” (sem gordura ou diet), é mais do que provável que você encontrará um alto teor de açúcar. Lembre-se, “sem gordura” não significa necessariamente “baixas calorias” ou “sem calorias”. Para obter uma imagem mais clara do que está comendo, sempre verifique cuidadosamente os valores nutricionais.

Vale também salientar que uma dieta super restritiva isenta de gordura não é necessário, você precisa ter alguma gordura na sua dieta. Tente evitar gorduras trans sempre que possível, e substitua as gorduras saturadas por gorduras insaturadas que são encontradas nos óleos vegetais (canola, oliva, etc), abacates, nozes, etc.

6. O suco de fruta é tão bom quanto comer frutas

Meu lema é de sempre comer alimentos o mais próximo da sua forma natural e sucos realmente não se enquadram nesta linha facilmente. Embora não seja de todo mal, você poderia certamente se beneficiar muito mais comendo o fruto inteiro, e não adquirindo as calorias vazias do suco.


7. O ganho de peso é inevitável a medida em que você envelhece

Evidentemente a taxa metabólica cai com a idade, mas simplesmente comer um pouco menos pode consertar isso. O problema para a maioria das pessoas é que a atividade física diminui a medida que envelhecem. Portanto, se você quiser ter certeza de não ganhar aqueles quilinhos extras com cada passagem de aniversário, aumente o seu nível de atividade e observe a ingestão de calorias.


8. Perder peso rápido é a melhor solução

Na verdade, perder peso lentamente é muito melhor. Dessa forma você terá mais probabilidades de perder excesso de gordura, não músculo. Além do mais, você terá uma maior chance de manter sua perda de peso por um longo prazo.


9. Ao parar de fumar você ganhará peso

Embora seja verdade que algumas pessoas ganham peso quando param de fumar, isso não é o caso de todos. A nicotina aumenta o metabolismo do corpo, no entanto, este efeito é pequeno, e não é uma razão suficiente para deixar de fumar.


10. Perder peso irá resolver seus problemas

Se você tem problemas antes de perder peso, infelizmente, eles continuaram a existir após os quilos sumirem. Então, o que devo fazer? É importante que você seja honesto com você mesmo sobre a fonte das suas dificuldades e em seguida, defina metas realistas para ajudá-lo a conseguir o que pretende na vida.


11. Todo mundo ganha peso durante as férias

É possível desfrutar das suas férias e ainda perder peso, ou pelo menos ficar com um peso constante. Como? Comer com moderação. Se você assumir que vai ganhar peso durante as férias, é um pouco como uma profecia de auto-preenchimento. Comece com uma atitude positiva e seja realista no que você pode alcançar.


12. O meu “metabolismo lento” é que me impede a perder peso

Infelizmente as pessoas estão se tornando cada vez mais sedentárias e provavelmente esse é um fator crucial para os problemas crescentes com o ganho de peso.

Um estudo publicado na BBC:
Os cientistas mediram a quantidade exata de calorias que pessoas com sobrepeso e peso saudável queimam enquanto estão sentados ou deitados em silêncio. Isso foi feito através da medição da quantidade de oxigênio inalado e na quantidade de dióxido de carbono exalado.
Os resultados destes estudos têm mostrado que as pessoas com sobrepeso gastam mais energia para manter seu corpo funcionando. Isto é porque possuem corpos maiores com mais músculos e órgãos internos.
No entanto, após tomar em consideração as diferenças no tamanho do corpo, os magros e as pessoas obesas têm demonstrado que possuem taxas metabólicas similares.
13. Consumir alimentos gordurosos levam a um ganho de peso rápido

Na realidade ganhar peso é um processo bastante lento. Se você comer uma refeição muito gordurosa e a balança acusar que você ganhou uns quilos, é muito provável que este ganho é devido aos líquidos. Se você voltar a comer comidas saudáveis novamente os quilos extras vão desaparecer.

10 erros catastróficos para quem deseja perder peso

A obesidade mórbida é, como nome já diz, mortal. Assim, as pessoas devem envidar todos os esforços e fazer qualquer investimento para debelar este mal. Pela observação doentes obesos em suas tentativas de emagrecimento, constata-se que ao longo de uma vida há um número baixo de possibilidades de sucesso (menos de 10), que se não for atingido dentro de um determinado tempo hábil, a síndrome pode levar o paciente ao óbito em virtude de sequelas irreversíveis.


1- Não mudar a alimentação.


Muitos pacientes preferem a tortura do exercício, sem renunciar à liberdade de comedor de lixo. Contudo, sempre é bom lembrar que a obesidade é uma doença incurável por si só, mais ainda, quando tratada por dietas eventuais. Portanto, enquanto a pessoa não se der conta de que ele terá que mudar definitivamente o seu estilo de vida, ficará eternamente refém do efeito sanfona. A mudança mais profunda seria a adoção de uma dieta mais ecológica.

2- Não cortar Sal e Açúcar.

Obviamente o açúcar branco deve ser radicalmente eliminado porque não faz parte de nenhuma dieta de restrição calórica e não deve ser substituído por adoçantes artificiais, com exceção aos esteviosídeos.
Quanto ao sal, este deveria ser reduzido à metade do valor mínimo do valor normal recomendado pela OMS para uma dieta normal, que seria de 2 a 3 gramas por dia. É interessante notar que o excesso de sal provoca o famoso inchaço (retenção de líquidos) dos gordos.



3- Não fazer exercícios.


Não é possível pensar em mudar hábitos de vida sem levar em conta o exercício físico. Para tanto, é condição sine qua non haver o cumprimento de um programa diário de atividades físicas adaptado à condição cardiovascular de cada indivíduo. Para evitar a descontinuidade do cronograma diário de exercícios, é imprescindível ter paceiro de exercícios ou personal trainer.

4- Falta de cooperação da família.


Em geral a família de obesos adoece também. Assim, a a mudança de hábitos deve se operar também no seio da família porque é altamente improdutivo submeter o doente às tentações. Explico: como pode alguém manter uma dieta saudável dentro de uma casa repleta de doces, bolachas recheadas, sorvetes, chocolates, balas, salgadinhos, guloseimas e mais guloseimas? Com certeza, em algum momento o santo pecará diante da arca aberta.

5- Não ter continuidade.


Cada queda no caminho é um cartucho a mais gasto dentre as menos de uma dezena de oportunidades tidas ao longo da vida. Por isto as abordagens amadoras e/ou mal orientadas são perniciosas, porque redundam sempre na reaquisição de todo o peso perdido, acrescido e alguns quilos a mais.

6- Não se abster de tabaco, álcool e drogas.


Parar com tais drogas anti-ansiolíticas é crucial para o sucesso de qualquer tratamento médico e faz parte das metas da mudança de hábitos.

7- Não mudar mudar os hábitos.


Infelizmente, uma parte do usufruto da vida “normal” é vedada aos obesos, tais como festas, bares, churrascos, em suma, as orgias gastronômicas cometidas nestes locais. Evitar os antros tão frequentados anteriormente faz parte da mudança de estilo de vida.

8- Ter um dia livre por semana.

e você necessita de um dia livre por semana para comer o que lhe vier na telha, significa que a sua atual dieta é a consequência de uma imposição transitória e não o resultado da mudança de hábitos. Imaginemos que você alcançou o equilíbrio alimentar, então não faria sentido fugir do paraíso e folgar no inferno, a menos que a sua dieta profilática não seja propriamente um céu...


9- Usar moderadores de apetite.


Não existe catástrofe mais violenta do que apelar para as pílulas milagrosas que prometem reduzir o apetite, já que junto com ele elas também reduzem a síntese proteica, que pode induzir um estado permanente de subnutrição e redundar em anorexia.

10- Não procurar apoio especializado.



A abordagem do problema da obesidade tem sempre um caráter multidisciplinar porque deve envolver cardiologista, psicólogo, endocrinologista, gastroenterologista, nutricionista, fisiologista, etc. O paciente sem acompanhamento desta envergadora clínica tem pouquíssimas chances de se dar bem de forma amadora. Tal estrutura justifica o sucesso das clínicas de emagrecimento.



8 maneiras de definir a barriga sem abdominais


A competição é acirrada: de um lado, a vontade em conseguir o abdômen  definido. Do outro, a preguiça em encarar o abominável sobe e desce dos abdominais. Entre um e outro, ficam você e a culpa por não dar um fim nessa situação. "Mas existem outras maneiras de definir o abdômen, ganhando tônus e alcançando a hipertrofia dos músculos ", afirma o professor Diogo Cestari de Aquino, especialista em fisiologia do exercício e reabilitação cardíaca. Mudanças na respiração, a prática de ioga, exercícios de pilates e até aqueles aparelhos que dão choques leves podem ajudar nesta missão. Confira a seguir as dicas do professor e comece já a treinar os músculos e sua habilidade em receber elogios.

1. Controle da respiração 
O controle da respiração durante a realização de outros exercícios físicos tem como principal objetivo a estabilização do movimento. Por isso, a respiração em si não traz modificações na estética e no fortalecimento da parede abdominal. No entanto, para um indivíduo destreinado, esse estímulo pode ser suficiente para obter pequenas melhorias nesses músculos, como a diminuição da flacidez. 

2. Caminhada e corrida 
Os dois exercícios são excelentes aliados na definição dos músculos abdominais. Para conquistar a definição muscular desejada, três fatores são de extrema importância: 
- hipertrofia dos músculos abdominais 
-diminuição da porcentagem de gordura 
-boa postura 

A corrida e a caminhada são excelentes aliadas na diminuição da porcentagem de gordura, porque queimam calorias. 

3. Boa postura 
Ela é fundamental para eliminar a barriga. A postura inadequada pode ocorrer por um desequilíbrio muscular, evidenciado pela fraqueza da parede abdominal e pelo encurtamento da musculatura vertebral lombar e flexores do quadril. Associado a esse quadro, observa-se aumento da lordose lombar, causa frequente de quadros de lombalgia. Por isso, o fortalecimento e o alongamento das musculaturas favorecem a manutenção ou a melhora do alinhamento postural. 

4. Aulas de ioga 
As aulas de ioga podem ajudar na definição do abdômen. Além das técnicas respiratórias que promovem o trabalho dos músculos abdominais profundos, inúmeras posições da prática solicitam fortemente o trabalho abdominal para a estabilização dos movimentos, contribuindo para o fortalecimento da parede abdominal. 

5. Pilates 
Os exercícios praticados no Pilates são excelentes aliados na definição da região. Em todos eles, o principio básico é a ativação dos músculos profundos do abdômen, promovendo a correta respiração, a estabilização do centro de equilíbrio e a melhora postural. Além disso, o trabalho dos músculos superficiais do abdômen é extremamente solicitado na execução de inúmeros movimentos, contribuindo para a melhora da definição muscular. 

6. Aulas de spinning
As aulas de spinning podem favorecer o abdômen por auxiliarem na manutenção da composição corporal ou na diminuição da porcentagem de gordura. Assim como a corrida e a caminhada, trata-se de uma atividade aeróbia e que, por isso, ajuda na queima de gordura. Mas, por causa da posição sentada, é importante observar a postura e trabalhar, em conjunto, exercícios para melhorar o equilíbrio postural. 

7. Alongamento 
Apesar de não atuar de forma significativa na diminuição da porcentagem de gordura ou no fortalecimento abdominal, as aulas de alongamento podem auxiliar na melhora da definição muscular. Isso porque esses movimentos promovem o equilíbrio postural, fator extremamente importante também para a estética. 

8. Total shape e outros aparelhos 
Os aparelhos de eletroestimulação promovem a ativação da musculatura de forma passiva, ou seja, sem que ocorra qualquer recrutamento neuromuscular para a produção do movimento. Essa técnica traz benefícios principalmente as pessoas que estão sem nenhum tipo de prática esportiva ou em reabilitação física, melhorando a tonificação muscular. Mas o ganho de força é limitado, ou seja, o impacto restringe-se à aparência.

A combinação perfeita 
Não existe um exercício capaz de realizar esse objetivo. Para tonificar o abdômen, é importante conciliar exercícios de fortalecimento com sessões de treinamentos aeróbios, para diminuir a porcentagem de gordura. Além disso, é preciso trabalhar o fortalecimento e o alongamento dos músculos que mantém a postura equilibrada. 

Tonificação ou hipertrofia? 
A diferença entre o trabalho de tonificação e hipertrofia muscular não está na modificação dos exercícios, e sim na intensidade e volume de trabalho a ser realizado. Para priorizar a hipertrofia, a carga (intensidade) de trabalho deverá ser maior, portanto o volume (repetições) total diminui. Em trabalhos de tonificação muscular, o volume total de trabalho é aumentado, portanto a carga de trabalho fica diminuída (em relação a um treinamento para hipertrofia). Vale lembrar que, para qualquer um dos objetivos, as últimas repetições devem ser realizadas com dificuldade.


5 dicas para acelerar o metabolismo e perder peso

Você vive fazendo dieta e nunca emagrece? A explicação para essa aparente contradição pode estar no ritmo natural do seu organismo. A boa notícia é que, a partir de pequenas mudanças de hábito, é possível dar um estímulo extra ao seu metabolismo. Com isso, fica mais fácil mandar embora aqueles quilinhos que estão sobrando.

O segredo é investir em exercícios físicos regulares, acertar na dieta, dormir bem e fazer o possível para não sucumbir ao estresse do dia a dia. O endocrinologista Marcio Mancini, médico responsável pelo Grupo de Obesidade do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP), é quem dá as dicas.

1) Tenha uma vida mais ativa
Todo mundo sabe que as atividades físicas promovem um aumento no gasto energético total. 

Mas os benefícios de malhar vão muito além. "O exercício aeróbico acelera o metabolismo no momento do treino e mesmo depois dele, já que o músculo continua consumindo gordura por mais algumas horas, mesmo em repouso. 

Já as atividades com pesos conferem o aumento da massa muscular, e esse ganho, por si só, é capaz de impactar positivamente o ritmo de funcionamento do nosso corpo", disse o especialista.


Então, para obter todos esses benefícios, o ideal é alternar atividades como a caminhada e a corrida com aulas de musculação ou ginástica localizada. 

De qualquer forma, se conseguir acumular apenas 30 minutos de atividades todos os dias, já estará dando um empurrãozinho ao seu metabolismo.

2) Aposte numa alimentação balanceada - com direito a carboidratos
Para perder peso de forma gradativa e definitiva, só mesmo adotando uma dieta que combina todos os tipos de nutrientes necessários ao bom funcionamento do organismo. 


O segredo é acertar nas porções mas fique atenta: optar por uma dieta restritiva demais com menos de 1,2 mil calorias por dia - pode ser tão prejudicial ao seu regime quanto exagerar na comida. 

Quando consumimos menos calorias do que precisamos, o metabolismo passa a funcionar de modo mais lento, com o objetivo de poupar energia para as atividades essenciais à manutenção da vida só que, dessa forma, também freamos o gasto de calorias. 

Ou seja, fica mais difícil emagrecer e mais fácil recuperar o que se perdeu rapidamente, afirmou o endocrinologista.


Pior ainda é apostar em regimes que sugerem cortar por completo o consumo de 
carboidratos. 

Isso porque o grupo de alimentos funciona como uma espécie de combustível, emprestando ao corpo a energia necessária para decompor e metabolizar as gorduras.

Além disso, sem nenhum tipo de carboidrato, também nos falta ânimo pra tudo, inclusive para malhar. 

Então, a melhor pedida é optar pelas massas e pães feitos de grãos integrais e pelas fontes de carboidrato de origem vegetal - legumes, frutas e verduras.

3) Durma bem
Passar oito horas por noite na cama é impossível para você? Pois tente repousar pelo maior tempo possível, se quiser manter todo o organismo - incluindo as funções metabólicas - funcionando com 100% de sua capacidade. "Um ritmo alterado de sono pode levar à síntese inadequada do hormônio do crescimento, favorecendo o acúmulo de gorduras e inibindo a formação de massa muscular."


4) Coma menos, mas mais vezes ao dia
Sempre que fazemos um jejum prolongado, o corpo entende que precisa armazenar energia e, assim, passa a funcionar mais lentamente. Como consequência, os depósitos de gordura e as calorias também começam a ser queimados devagar.

Pior: para garantir a energia de que precisa, o corpo pode começar a consumir sua própria massa muscular. Para fugir dessa ameaça, o ideal é fazer seis refeições ao dia, preferencialmente em horários regulares.

5) Controle o estresse
Se é impossível livrar-se completamente desse vilão, tente ao menos minimizá-lo, investindo em atividades físicas e de lazer. "O estresse faz disparar o nível de cortisol na corrente sanguínea, um hormônio que aumenta a fome, favorece o acúmulo de gordura e interfere na ação da insulina, provocando ganho de peso", disse o especialista.